Associação Brasileira dos Treinadores de Tambor e Baliza
    A Paixão Levada a Sério

O Esporte

 

Como tudo começou (USA)

Conheça mais sobre a história desse esporte que hoje praticam homens, mulheres e crianças de todas as idades em todo o mundo. O esporte de Tambor que conhecemos hoje, que respeita as diferenças entre homens, mulheres e crianças, onde todos competem em condições igualitárias, nem sempre foi assim, veja a história abaixo!

Enquanto o Rodeio Profissional surgiu em 1882, com o herói de romances, caçador de búfalos e estrela de Vaudeville, Bufallo Bill Cody, que tornou os eventos parte do grandioso “Wild West Show” e celebração de 4 de julho em North Platte, em Nebraska, suas apresentações atraíam multidões e cobertura imediata da mídia, Cody, quis em suas apresentações retratar na vida real “o velho oeste”, e por isso contratou cowboys, índios e mexicanos para suas apresentações com os búfalos. As multidões se encantavam com as disputas de laço e equitação, abertos a residentes locais, as competições que colocavam vizinho contra vizinho, rapidamente se tornaram um grande sucesso, todavia as mulheres não desempenhavam um papel crucial nas apresentações de Cody, eram atrizes com papéis menores: lavando roupa, cozinhando, juntando um bando de crianças selvagens, obedientes a seus homens, os seguindo por caminhos difíceis. Esse cenário que não valorizava o potencial feminino começou a mudar, quando em 1885, Cody contratou o atirador Annie Oakley, que passou a ser adorado pelas multidões por causa do seu espírito selvagem e despreocupado, reconhecendo o potencial de Oakley, Cody deixou que ele o representasse e prontualmente o mesmo contratou 12 cavaleiras para serem as estrelas de suas apresentações do velho oeste.

O sucesso de Cody deu inicio a outras apresentações que fizeram grande sucesso em 1930. Á medida que os eventos expandiam, tornando-se cada vez mais populares, as competições e as premiações para os Cowboys, ficavam mais lucrativas. As cidades que sediavam os rodeios trabalhavam durante todo o ano, para organizar as celebrações das comunidades onde competições amigáveis eram o tema, e muitas outras foram criadas depois do sucesso de Cody. Em 1897, a primeira “Cheyenne Frontier Days” foi realizada, e logo se tornou o mais prestigiado evento da época. As mulheres competiam em equitação ou eventos com pônei ou, até mesmo, em truques de equitação. As multidões adoravam. Percebendo a necessidade de atrair maiores multidões, os praticantes de rodeio, em todo o país, começaram a colocar mais mulheres em seus eventos. Até 1920, as mulheres tiveram muitas oportunidades nas competições e frenquentemente competiam contra os homens. Jornais e revistas espalhavam essa nova ‘mistura’ de homens e mulheres nas competições. Algumas cidades chegaram a ter cobertura imparcial dos rodeios, incluindo os esportes femininos, mas a maioria dos resultados femininos não era divulgado.

Certa vez um escritor salientou que “embora as mulheres fossem concorrentes competentes, talvez se saíssem melhores na cozinha”. Cowgirls pioneiras tentaram encontrar espaço em meio à dominação masculina no mundo dos rodeios. Algumas participaram em eventos patrocinados, que eram geralmente, nada mais que concursos de beleza. Algumas mulheres de sorte até competiam. Mas essas poucas que competiam, era meramente comparável ás aquelas que estavam na platéia. Entre 1930 a 1941, havia 50 mulheres que competiam nos rodeios. Com inicio da Segunda Guerra Mundial, o número de rodeios diminuiu drasticamente e o número de participantes do sexo feminino também. Em 1942, havia 26 mulheres que competiam, entre 1943 e 1946, havia 12 mulheres competindo e eram muito mal pagas. Durante o verão e o outono de 1942, empreendedores organizaram rodeios para entreter as tropas situadas em várias partes do país. Uma vez que os homens estavam em guerra, o rodeio ficou para as mulheres. O primeiro rodeio só de mulheres foi realizado em Bonhan, Texas, 26 a 29 de junho. Organizado por Fay Kirkwood, o evento foi muito bem sucedido e outros foram organizados para levantar o espírito das tropas. No entanto, muitos desses rodeios nunca aconteceram. Respondendo a indesejados avisos de um oficial do governo, Kirkwood cancelou os eventos e retirou os rodeios da vista do povo. Os rodeios foram depois retomados por Vaughn Kreig, de 1934, Madison Square Garden, campeão Bronc Rider (modalidade de montaria em rodeio). Ela formou sua própria companhia de rodeio para entreter as tropas do país com rodeios femininos. Apesar da excelente recepção e sucesso financeiro, nem Kreig Kirkwood ou o sonho de rodeio iria sobreviver à segunda guerra mundial.

Quando o racionamento de gasolina e pneus intensificou, Krieg foi obrigada a fechar as cortinas. No inicio de 1947, a Rodeo Cowboy’s Association (RCA – Associação dos Cowboys de Rodeio), sancionou anualmente mais de 1.000 rodeios e cowboys competiam por mais de US$ 155.000,00, o maior premio já pago. No entanto, houve uma forte facção dentro da RCA que não queria as mulheres competindo em rodeios. Não era coisa de mulher e essas mulheres se sentiriam muito melhor servindo a outro propósito de muito glamour como RAINHAS DE RODEO. Portanto, para a maioria dos primeiros rodeios, a RCA oferecia concurso para a Rainha do Rodeio. Um grupo que se revelou útil para as mulheres foi a Amateur Cowboys Association (CAA – Associação de Cowboys Amadores). Originário da Califórnia, em 1940, o seu objetivo era permitir que os amadores competissem para ganhar experiência antes de passar para as categorias da RCA. Ao contrário de outros grupos amadores, a CAA incentivava seus membros a concorrer a prêmios monetários e, em seguida, eles alcançaria a RCA quando seus ganhos chegassem a US$ 500. Além disso, os eventos das CAA incluía eventos para as mulheres, como os Três Tambores. Embora a criação de uma associação profissional de rodeio para mulheres parecesse obvio, ninguém se atreveu a fazer. Ainda que as mulheres tivessem desempenhado um pequeno papel em rodeios desde o final do ano de 1880, elas eram dependentes dos homens. Lugares como a Stamford Cowboy Reunion, Fort Worth Stock Show and Rodeo, Madison Square Guarden e Boston Garden, procuravam promover provas que colocavam as Cowgirls uma contra a outra. A sua legitimidade era suspeita, no entanto, as mulheres ganhavam com excessiva beleza e limitada capacidade atlética. Em 1947, a posição das mulheres nos rodeios mudaria para sempre, quando aos 25 anos de idade, Nancy Binford e aos 19 anos de idade, Thena Mae Farr organizaram o que seria um rodeio só para mulheres. O rodeio aconteceu do dia 23 a 26 de setembro de 1947, durante a “Amarillo’s Tri State Fair”(Feira Tri Estadual de Amarillo).

A realização de rodeios em Amarillo esteve durante muito tempo parada. Quando Binford e Farr chegavam ás cidades com suas meninas, com o objetivo de realizar rodeios ‘só para mulheres’, elas eram recebidas inicialmente com ceticismo. Mas, a dupla apresentou o “know-how”, suficiente para pôr o projeto em prática. Com atenção minuciosa aos detalhes, elas planejavam diretamente seus rodeios até o último aspecto, já que ambas haviam viajado o país, como rainhas do rodeio e representantes, “Binford era a Range Rider’s Sweetheart e Farr era Miss Saymour” eram especialistas em relações públicas. Amarillo precisava de um evento que iria chamar em grandes multidões e, para Binford e Farr, seu rodeio era justamente esse evento.

Com o mínimo de apoio financeiro da cidade, elas apresentavam uma impressionante campanha publicitária, caminhando para baixo e para cima pelas ruas de Amarillo, com panfletos convidando patrocinadores para comprar anúncios nos programas de rodeio e doar prêmios. O evento foi muito divulgado em todo o sudoeste e chamaram 75 competidores do Texas, Novo México, Missouri, e Oklahoma, e houve as modalidades Bareback, Laço de Bezerro, Três Tambores, etc. As entradas variavam de US$ 5 a 15 por eventos e foram pagos prêmios em dinheiro no valor de US$1.260,00. Elas ainda ofereciam um cavalo ao campeão. O rodeio foi um enorme sucesso. Todas as vencedoras, incluindo Binford e Farr foram levadas para o Hall da Fama das Cowgirls Nacional. O sucesso do rodeio tri estadual foi o salto que as Cowgirls precisavam, posteriormente formariam a GRA – Girls Rodeo Association (Associação Feminina de Rodeo). Em 28 de fevereiro de 1948, 38 mulheres se reuniram em um hotel na cidade de San Angelo no Texas, e a primeira associação formada apenas por mulheres, nascia a GRA. O principal objetivo do grupo era dar as mulheres legítimas e honestas oportunidades para competir em rodeios, bem como estabelecer uma aliança com RCA. Elas elaboraram, aprovaram regras para o regulamento e adotaram um sistema de pontos para coroar campeãs mundiais. Suas regras entraram em vigor em maio de 1948 e os membros do conselho da GRA passaram a trabalhar, convencendo comissões e os produtores de rodeio a realizar provas de acordo com as regras da GRA. Em 1981 a GRA mudou seu nome para Women’s Professional Rodeo Association.

Hoje a WPRA conta com mais de 2.000 associadas e sanciona cerca de 800 provas de Tambor no ano em conjunto com a PWRA (irmã da WPRA), possuem seu próprio campeonato mundial. Os últimos cinqüenta anos foram decisivos. Formou-se uma indústria multimilionária, que deu certo no mundo todo.

Log in

create an account